sexta-feira, 29 de março de 2013

Tomamos uns dias de descanso. Ate já! Reabrimos Quarta Feira 10 de Abril







Queridos amigos e amigas:
A Cozinha do Centro Tinkuy (Gracias a la Vida ASSOCIAÇÃO) vai estar estar fechada a partir do dia de amanhã 30  De Março  até o dia 9 de Abril. Voltamos a reabrir com o horário habitual (das 12h às 16h) de Quarta a Domingo, a partir do dia Quarta 10 de Abril.

Agradecemos vossa compreensão* .

Abraços.



Quer saber mais acerca da nossa COZINHA? Então espreite Aqui por favor.


Sejam bem-vind@s!



Para qualquer outro assunto por favor queiram contactar-nos
por mail  centrotinkuy@gmail.com


Até breve! 


WORKSHOP "DO OUTRO LADO DO MEDO", Sábado, 27 de Abril das 10h00 às 18h30, com Paula Froes

CICLO DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL

"UM NOVO SER, UM NOVO MUNDO" 
Abril e Maio 2013

 


"A sua visão torna-se mais clara apenas quando olhar para o seu coração ... 
                             Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, desperta".

                                                                                Carl Gustav Jung, Psiquiatra Suíço


O Instituto Gratidão em Parceria com Centro Tinkuy (Gracias a la Vida Associação) apresentam um Ciclo de Workshops de Desenvolvimento Pessoal


Uma viagem ao nosso interior que nos leva a um nível mais elevado de consciência através de processos tranquilos e técnicas simples para detectarmos e desfazermos bloqueios emocionais e conquistarmos uma maior liberdade e plenitude. 

  • o lado do Medo. A crise, as catástrofes, a doença, a vida, como lido com elas?"
Sábado, 27 de Abril 2013, das 10h00 às 18h30, com intervalo para almoço

Osho diz: "De que é feito o medo?
 O medo é feito do desconhecimento do nosso próprio ser.”
 Muitas vezes sofremos porque é o que sabemos fazer,
 isto é difícil de ouvir,
 no entanto também temos que estar dispostos a olhar
 para lá do que a vida e o mundo nos apresentam!
 Quem posso ser em relação a todas as agruras?
 Qual a mensagem que elas me trazem?
 Se transpuser o medo o que encontro do outro lado?



ENTREVISTA COM A FACILITADORA, PAULA FROES

1) Porquê um workshop que aborde o medo? De que forma é que os nossos receios podem condicionar a nossa vida?

O medo trouxe-nos onde nos encontramos hoje, não só como individuais mas como sociedade. Existem dois tipos de medo: por exemplo aquele que nos faz desatar a correr quando vimos um camião vir em alta velocidade na nossa direcção, este é um medo a que podemos chamar de natural, de auto- protecção. O outro, embora inicialmente ligado ao instinto de sobrevivência, tem-se adaptado nos nossos tempos - em que para muitos de nós não se põe a situação de luta diária pela sobrevivência básica, visto que vivemos em sociedades ditas avançadas - à defesa psicológica. 

Temos medo da morte que vemos aproximar-se a cada momento porque temos medo da vida. Queremos controlar os acontecimentos para nos sentirmos seguros e acabamos por nos esquecer de viver. Na realidade vivemos dentro das nossas cabeças à volta de pensamentos que nos vão infernizando quando todos nós já tivemos a experiência que quando algo acontece nem temos tempo de ter medo.


Hoje em dia vivemos momentos de grande mudança a nível global que aumentam os nossos medos. Temos medo de ficar sem trabalho, de catástrofes, de doenças, de ficar sozinhos, da velhice desprotegida entre outros. Temos consciência de que temos que mudar e isso amedronta-nos mais ainda, pois obriga-nos a sair das nossas zonas de conforto. No entanto é ao sair dessas mesmas zonas que vamos conseguir olhar o leão nos olhos.

A maior parte de nós nunca vive a vida, acomodamos-nos a situações indesejáveis sejam elas na área profissional ou pessoal porque nos habituamos a um nível medíocre de vida. Deixamos os sonhos na prateleira e dizemos que não se pode fazer nada pois a vida é assim mesmo. No entanto esta espécie de aceitação não o é. Se o fosse estaríamos felizes e satisfeitos. Mas não o estamos, pois não?


Disse atrás que o medo nos trouxe onde estamos, mas o amor faz o mesmo. É ele que nos dá o saber que somos muito mais do que isto, que nos acompanha nas desilusões e dores que experimentamos, que nos diz que está tudo bem e que nada disto é real. A abertura de consciência que o mundo começa a demonstrar, esta sede de mudança, o pro-pormo-nos a parar e observarmos a nós mesmos, são entre outros obras do amor.

É fácil ver que estamos condicionados pelo medo do desconhecido. É possível dar o passo em frente se nos dermos ao trabalho de darmos o passo atrás e observarmos o que se passa sem julgamentos nem tendências a vitimizarmo-nos.






2) Qual a importância de desenvolvermos ferramentas para saber lidar com adversidades? O que podemos ganhar para o nosso desenvolvimento pessoal com este workshop?
Só quando tomamos consciência dos nossos próprios padrões é que nos damos a oportunidade de os dissolver. Muitos de nós lutamos internamente contra o que não nos agrada e assim não conseguimos mais do que dar-lhe força. Também não temos consciência de que somos controlados pelo nosso subconsciente e pomos as culpas na sorte ou falta dela, nos outros, na sociedade, no governo.... Não nos questionamos nem temos noção de quão importante é fazê-lo.


Quando paramos e nos damos a oportunidade de nos olharmos e “aprendemos” a lidar com os nossos assuntos, a reconhecer os jogos que as nossas mentes fazem, abrimos as portas do nosso verdadeiro Ser e intrinsecamente as portas de um mundo novo. Não há nada mais importante para cada um de nós fazer do que isto. Temos que partir cá de dentro sequeremos mudança.


A vida vai-nos servindo o que mais necessitamos para nos fazer acordar e não temos controle sobre isso, mas podemos escolher como lidamos com cada um dos eventos. Também é certo que, seguindo o princípio que acabei de citar, que “uma vez a liç ão aprendida deixa de haver necessidade de a continuarmos a viver”.



3) De que forma é que se vai desenrolar este Workshop? Qual é o seu programa de actividades e qual a mais valia em frequentar esta actividade?

Este workshop vai guiar e dar oportunidade aos participantes de se observarem e perceberem o que está por detrás das suas atitudes, medos, crenças,padrões e de os libertar. Consecutivamente as pessoas passam a ter consciência do que se está passar com elas próprias e a usarem as ferramentas que lhes serão dadas.



A tomada de consciência muda o âmbito das perspectivas e dá-nos a liberdade de deixarmos de sofrer por antecipação e igualmente a desdramatizarmos as situações. Passamos a acolher o que se passa com outros olhos e a descodificar a mensagem que nos é trazida. Isto aplica-se naquilo a que chamamos de bom e mau. Na realidade não existe nada nem bom nem mau, as coisas simplesmente são, mas dito isto também é verdade que quando observamos como nos sentimos e o que o universo nos serve, sabemos automaticamente se nos estamos a guiar por condicionamentos ou se já abrimos mão do que não nos serve.


Esta é uma grande oportunidade para quem atravessa momentos difíceis na sua vida, sejam eles de natureza psicológica, física ou social, no entanto é igualmente um trampolim para todos os que apesar de não estarem a travessar um período particularmente duro sintam que lhes falta algo.

Serão usados diferentes métodos que sem agressividade e num ambiente sereno nos ajudam a encontrar connosco mesmos. Esses métodos passam por Programação Neuro Linguística, O Grande Observador- Quântico, Inteligência Emocional entre outros. O workshop será muito prático e cada um dos participantes terá a chance de abordar as suas questões num ambiente não invasivo e agradável.

O Centro Tinkuy agradece esta entrevista à facilitadora Paula Froes.


Dinâmica:
Aos sábados, das 10h00 às 13h30 e das 15h00 às 18h30, com intervalo para almoço.

Nestes workshops utilizaremos diversas técnicas e ferramentas: Inteligência Emocional, O Grande Observador – Quântico, Ponto Zero, Programação Neuro-Linguística, The Work- Byron Katie, Reconhecer- Aceitar- Libertar. Visualização de filmes, caminhadas à praia ou à serra, meditação, conversar em torno de uma fogueira, dançar, escrever, pintar...

I
nformações e Inscrições:
Instituto Gratidão:
Tlm: 96 260 7740
paulafroes@instituto-gratidao.net
info@instituto-gratidao.net


Centro Tinkuy:
centrotinkuy@gmail.com
tlf: 219292506 (das 9h às 17h)


Valor de Troca :  35 estrelas por cada dia de workshop (inclui material e dois coffee-brakes ao longo do dia).  Não inclui almoço. 

Para almoço no Centro, por favor contactar:
telefones 967 941 468 e 21 92 92 506
ou por e-mail centrotinkuy@gmail.com


Inscrições Válidas após pagamento de 50% do valor do Workshop.
Se tiver dificuldades financeiras fale connosco.

Para se realizar este ciclo de workshops serão necessários um número mínimo de 7 inscritos.




Facilitadora: Paula Froes do Instituto Gratidão



Acerca de Paula:

O sentido de que há outras maneiras de olhar a vida e de que as coisas não têm que ser como são, tem-me acompanhado toda a vida! Ao mesmo tempo, que o meu papel principal era precisamente transmitir esse saber, nunca foi uma dúvida. Os métodos convencionais não me agradavam e por isso ao fim de muitos anos de procura tornei-me numa Certified Coach Practitioner  (ECIT and CCF)  (2009/10).

A vida levou-me pelo mundo fora, enquanto procurava resposta às minhas perguntas estudando desde Filosofia Zen a Allan Kardek, interessando-me por Naturopatia e Acupunctura, a diversidade que encontrei nos lugares em que vivi, Moçambique, Portugal, Inglaterra e Brasil, mostrou-me que na realidade somos todos diferentes e mesmo assim iguais. O mundo inteiro borbulha com novas informações e abordagens. Aprender novas maneiras, mesmo que estas sejam baseadas em práticas antigas, é como aprender uma língua nova. Encontramos 
outros caminhos para nos expressarmos e experienciarmos. A nossa visão altera-se e amplia-se o seu alcance. A comunicação com as pessoas, a natureza, o todo precisa de brotar do ser com aceitação, respeito e liberdade. Começarmos connosco próprios é primordial, pois como podemos exprimir o que não somos capazes de aprofundar em nós mesmos! 

http://www.instituto-gratidao.net/



quinta-feira, 28 de março de 2013

CONVERSAS COM SOPA: AS PALAVRAS DE AGOSTINHO DA SILVA, Sexta-feira, 19 Abril, a partir das 19h00, com Sofia Sousa

Nesta sessão de "CONVERSAS COM SOPA" * o nosso convidado é Agostinho da Silva. 

Como podem tocar/ encantar as mensagens de Agostinho?
A partir da projecção audiovisual, vamos reflectir o SER, o PENSAR, o SENTIR, o RECONHECER, o TRANSFORMAR e enfim, o NOVO SER!...
Ir à "Índia sem sair de Portugal", ou apenas tomar consciência da Coragem, Transparência, Simplicidade, Despojamento Livre, Criatividade, Autenticidade e Verdadeira Liberdade que a pessoa de Agostinho da Silva nos oferece em si para sempre, e mais..


Sofia Sousa nos introduz assim à figura de Agostinho.

Para nos falar deste ilustre pensador, filósofo, ensaísta e poeta português, Sofia começará por abordar biográfica e bibliograficamente o autor, trazendo à luz a reflexão sobre importantes e actuais temas do seu pensamento.

 Agostinho da Silva
Neste encontro partilhado, a possibilidade de SER em partilha, pensamento e encontro/vivência de sabedoria vamos ter oportunidade de conhecer, aprofundar e reflectir sobre o pensamento de um dos mais notáveis pensadores portugueses do século XX.

Serão ainda exibidos dois vídeos.

"Mensagem aos Portugueses  

O que quero de todos os portugueses é o seguinte: sejam curiosos; e que a organização em sociedade possa ser de tal maneira que eles possam satisfazer essa curiosidade completamente. E não para ganhar dinheiro, não para fazer figura, nem para ganhar cargo, mas para ser plenamente aquilo que é. Alguma coisa que ele sinta que o está desenvolvendo na mensagem única que tem que dar do mundo, de maneira que a minha mensagem para qualquer aluno de qualquer escola é: faça favor de cuidar da sua mensagem e não da minha. A minha foi, é só para dizer «cuide da sua», porque essa é que tem importância. E a mensagem será vossa na medida em que for o mais diferente possível da minha, ou de qualquer outra. Senão, para quê duplicados no mundo? Não é preciso. Para isso é que inventaram os carimbos. Eu não sou um carimbo de ninguém."
Agostinho da Silva, in 'Entrevista'

Agostinho da Silva foi um filósofo, porta e ensaísta português. O seu pensamento afirma a  Liberdade como a mais importante qualidade do ser humano. Agostinho da Silva pode ser considerado um filósofo prático empenhado, através da sua vida e obra, na mudança da sociedade.  Mais textos do autor aqui




* Se quiser saber mais acerca do ciclo CONVERSAS COM SOPA, clique Aqui




Sejam bem-vindos!

Workshop Padaria saudável Domingo 21 de Abril 16h às 19h30




Neste mês de Abril, continuamos com Workshops de Cozinha "Alimentação Integral e Consciente, com os temas Padaria saudável  (Domingo 21 de Abril)  e "Cozinhando na Primavera" 3 ementas diferentes de acordo aos critérios da macrobiótica (Domingo 28 de Abril).


Workshop Padaria saudável
Domingo  21 de Abril  
16h às 19h30


~Pão de trigo integral básico
-Pão de abóbora
~"Paozinhos" de arroz integral adocicados
~Focaccia
~Mini Pizzas
~Trança de maçã e passas

Estão abertas as inscrições,mínimo 7 inscritos para acontecer, máximo 10.

Investimento: 30 estrelas  (inclui aula teórico-prática, degustação, texto com receitas)

Descontos para casais e grupos,disponíveis.  Fale connosco.
Desconto se se inscrever nos dois workshops.



Com Gosto!

Esperamos por vocês,






Padaria Saudável


Se pensa que fazer pão caseiro é uma tarefa difícil ou já ultrapassada, coisa de avô.... se engana.

Cada vez é mais urgente re-aprender a cozinhar e a fazer em casa, tanto nossa comidinha como o nosso pão de cada dia. Redescobrir a alegria de praticar uma das artes mais antigas da humanidade: a padaria.

Aprenderemos de maneira prática fazer pão com um método mais natural que o empregado na padaria industrial.

Aprenderemos também pequenos "detalhes" que fazem grandes diferenças. Não é difícil mas requer treino, paciência e até uma atitude meditativa.
Ao final, como dizia nossa mestra de culinária, dona Bernadete Kikuchi, quem consegue fazer um pão de boa qualidade, fica em melhores condições de usar suas mãos para curar....


Algumas das propostas para este dia: Fazer Pão, de maneira mais natural, de diversos tipos de cereais, e com diversos ingredientes, pães e bolinhos para quem não come gluten, pão de frigideira tipo chapati indiano. Algumas sugestões de snacks, e ao final comemorar com um lanche muito rico!

O Workshop inclui uma aula teórico-practica, um texto com receitas e degustação com lanche,


com Isaura Zegarra da Silva
Investimento: 30 estrelas
 .
Inscrições,
aos telefones 967 941 468 e 21 92 92 506
ou por e-mail centrotinkuy@gmail.com





E a seguir também:


"Cozinhando na Primavera"
3 ementas diferentes de acordo aos critérios da macrobiótica

Domingo 28 de Abril
das 16h às 19h


Ementa1:
~Millet primavera (aprender a usar este antigo e nutritivo cereal, incluímos 2 variações)
~Caril de Seitan caseiro 
~Vegetais de Folha verde escaldados com molho branco
~Pickles (conserva rápida em vinagre) de nabo, cenoura e rabanete
~Semifrio de creme de arroz integral e frutos vermelhos

Ementa2:
~Arroz integral "raspado" (uma maneira de cozinhar o arroz integral para que fique macio e mais digerível)
~Tofu com shoyu e gengibre,
~Vegetais refogados
~Salada com germinados
~Bolo rápido de maçãs e passas

Ementa3:
~Quinoa estufada (aprendendo a usar o super-cereal que veio dos Andes)
~Lentilhas com algas (aprendendo a usar leguminosas)
~Vegetais ao vapor com molho de tahine
~Salada "Pickelada" rápida
~Kanten de fruta (aprendendo a usar as algas agar-agar)


Estão abertas as inscrições,mínimo 7 inscritos para acontecer, máximo 10.

Investimento: 40 estrelas  (inclui aula teórico-prática, degustação de todos os pratos preparados, texto com receitas)

Descontos para casais e grupos,disponíveis.  Fale connosco.
Desconto se se inscrever nos dois workshops.




com Isaura Zegarra da Silva


 .
Mais informações e Inscrições:
aos telefones 967 941 468 e 21 92 92 506
ou por e-mail centrotinkuy@gmail.com

quarta-feira, 27 de março de 2013

Workshop Comunicar com Oxigénio. Sábado, 4 Maio, das 14:30 às 20:30, com Allan Sousa e Sophie Marie




































ENTREVISTA AOS FACILITADORES

1- O que é o Workshop "Comunicar com Oxigénio"?

Trata-se de um momento onde pode provar, sentir e experienciar uma forma de comunicar que gera mais paz e harmonia pessoal e interpessoal. 

O workshop tem como objetivo dar a conhecer duas ferramentas poderosas para a comunicação: o modelo de Comunicação Não Violenta de M. Rosenberg e o Mindfulness.

2- O que vamos aprender? De que forma?

- Treinar um processo de comunicação que facilita a aproximação do eu e dos outros;
- Aprender a estabelecer um diálogo autêntico sem magoar companheiro(a), filhos, colegas de trabalho e/ou amigos;
- Adquirir um vocabulário que me permite ouvir e ser ouvido;
- Perceber como escutar-se a si próprio;
- Expressar raiva sem ser violento;
- Entender a importância do “Parar & Respirar” no processo de comunicação;
- Aprender a resolver conflitos de forma mais pacífica e eficaz.

3- Pode falar-nos um pouco do Modelo de comunicação de Marshall Rosenberg? Na sua opinião, quais as suas mais-valias?

Desde nascença aprendemos a competir, julgar, exigir, diagnosticar, pensar e comunicar em termos de "bom" e "mau". Esta forma de comunicar inibe a comunicação, criando frustração e conflitos e leva-nos no pior dos casos à violência.
A comunicação não-violenta é uma teoria e filosofia de vida que parte do princípio de que os seres humanos são feitos para viver em harmonia uns com os outros.

Uma comunicação que nos apoia nesta harmonia é uma que expressamos os nossos sentimentos e necessidades/valores visto estes não estar em conflito pois partilharmos todos os mesmos. 

4- Que outros modelos e técnicas vamos aprender e praticar no workshop? 

Mindfulness ou a capacidade de observar o momento presente aceitando-o como ele é. 
Esta ferramenta vai nos ajudar a aprender a pausar antes de responder, dando a oportunidade de comunicar de forma não-violenta.

5- A quem se destina este workshop? 

A todos que tenham a necessidade de: 
* aprender a expressar-se de forma autêntica
* treinar a empatia para conectar de forma mais harmoniosa com os outros
* apoiar e reduzir violência para promover mais paz na sua envolvente


Facilitadores


 Allan Sousa
Português, nascido em África de Sul. Life Coach pela International Coach Academy (Austrália), licenciado em Engenharia Civil, professor de Yoga e praticante de Vipassana/Mindfulness. Atualmente orienta formações na área de mindfulness e comunicação autêntica. 
Sophie Marie
Belga, vive em Portugal há mais de 10 anos. Bacharel em psicologia e serviço social e licenciada em Ciências Sociais. Formada em Communication Non-Violente (Bélgica), Yoga para Crianças, e Mindfulness in schools (USA). Desenvolve programas de treino de mindfulness em escolas e orienta formações na área de mindfulness e comunicação autêntica. 

Mais informações e contactos:

967 562558
info@projeto-oxigenio.pt http://projeto-oxigenio.pt/
Facebook
https://www.facebook.com/events/120163798174438/




Nonviolent Communication Workshop - Marshall Rosenberg (2000)

Mindful Schools In-Class Instruction

 

Testemunhos Projecto Oxigénio

Entrevista a Lúcia Barros, facilitadora de Biodanza

Biografia Lúcia Barros aqui

1) O que é a biodanza? Com que disciplinas é que se cruza a biodanza? 

 
A Biodanza é um sistema de desenvolvimento humano que estimula os nossos potenciais existenciais através da música, do canto, do movimento integrativo e de situações regulares de encontro em grupo.

 
Funciona primordialmente a partir de vivências estimuladas no sentido integrador. Integrar o movimento e a expressão com o que se pensa, sente e age. 



Nas danças individuais, a pares e em grupo desenvolvem-se recursos de comunicação relacional nos três níveis existenciais de vínculo, consigo mesmo, com o outro e com o que nos rodeia.
E surgem possibilidades de uma reelaboração da nossa forma de viver.

É um sistema baseado num modelo interdisciplinar onde se ligam as ciências como por exemplo a biologia, antropologia, psicologia, com as artes, como a música, a dança e a poesia.


2) Como se pratica a biodanza? Quem pode praticar?


Como em qualquer outra prática, os resultados de quem pratica Biodanza, são imediatos em termos de gerar bem-estar durante e após a sessão, mas mais e mais visíveis, a muitos níveis, através da prática constante semanal. 


Todos podem praticar Biodanza, dado que as danças são orientadas através do sentir, da emoção que a música e situações de grupo despoletam.
Existem orientações motoras para cada dança e para cada tipo de grupo(crianças, adultos, séniores, grupos específicos de risco ou de condições fisícas especiais, de equipas de empresas, entre outros), mas cada pessoa dança de acordo com a sua capacidade. Um dos objectivos principais é desenvolver o movimento a par com a unidade entre pensar-sentir-agir e comunicação relacional, no caminho de cada vez maior harmonia interna e externa das nossas vidas. E todos os que assim o queiram, podem e conseguem.


3) É necessário saber dançar para praticar biodanza? Que tipo de preparação física se tem que ter?


O ideal é não trazer movimentos estereotipados pois um dos objectivos da Biodanza é cada pessoa conectar-se com o seu próprio e único movimento corporal, com as suas emoções e a sua forma de expressá-las, com os limites e as potencialidades de cada um. É importante sim, a condição interna de vontade de aprender e de se desenvolver a partir do seu interior.



4) De que forma é que o movimento potencia a saúde e a integração humanas?


Quando falamos de movimento em Biodanza, referimo-nos a ir mais além do que simples movimento, falamos aqui de movimento integrado entre o pensar-sentir e agir ou expressar no mundo. 

 
A Biodanza não é considerada uma terapia apenas porque o enfoque e os mecanismos de acção utilizados actuam nos aspectos saudáveis que cada um traz consigo e partindo daí, através do que chamamos eco-factores positivos entre os quais a música, a dança e o grupo, reforça-se mais e mais a saúde da pessoa.
O primeiro conhecimento do mundo, anterior à palavra, é o conhecimento pelo movimento.
Tudo o que é vivo, move-se. O processo de integração saudável surge em todo e qualquer movimento de conexão com o que é benéfico à vida.


5) Pode falar-nos um pouco do Modelo Teórico de Biodanza, criado por Rolando Toro Araneda?
O Modelo Teórico é a base científica do desenvolvimento do sistema da Biodanza. 




 Rolando Toro Araneda
Informações biográficas aqui

O seu criador Rolando Toro Araneda partiu de muitos estudos e práticas feitos em Antropologia, Psicologia e Medicina clínica e foi desenvolvendo as abordagens na saúde no sentido de 'humanizar a Medicina' desde a década de 1965. Já existiam técnicas como a psicoterapias de grupo na linha de Carl Rogers, Psicodrama, Arte-terapia, Gestalterapia, Musicoterapia. O enfoque de Rolando foi na actividade corporal estimulando as emoções através da música e do encontro humano, com o objectivo de induzir harmonia na saúde dos pacientes que tratava.


E assim constituiu a base de construção de um Modelo teórico operativo, que, muito sucintamente mesmo, se estrutura num eixo horizontal, com de exercícios de reforço de identidade com danças bastante activas num pólo e exercícios de regressão=reparação noutro pólo. Num eixo vertical, interagem os potenciais genéticos universais humanos que pautam os exercícios de Biodanza no que chamamos 'cinco linhas de vivência': Vitalidade, Sexualidade, Criatividade, Afectividade e Transcêndencia e por onde se percorre um caminho de menos integração à integração maior.


Ao longo do tempo este Modelo foi evoluindo, acompanhando a actualização dos avanços científicos nas àreas da saúde, sempre tendo por base o que chamamos de Princípio Biocêntrico que visa o que é pró-vida.


Mais informações sobre Conversas com Sopa aqui

6) De que forma se vai estruturar a Conversa com Sopa: "Biodanza, que é e como nos beneficia?". Vai ser projectado algum filme? Vai ser apresentado o modelo teórico Rolando Toro Araneda ou vamos dançar um pouco também? 

Vou receptiva ao que surgir, dentro do que possa ser esta conversa informal.
Falar da definição de Biodanza, de como se pratica e do que pode ser abrangido com a prática regular, fará naturalmente parte desta conversa, focando os aspectos benéficos desta actividade, como indica o título da conversa.
É possível passar vídeos que possam ilustrar alguma questão pontual.
Alguns aspectos do Modelo Teórico onde assenta a Biodanza, surgem ao focar aspectos anteriores, mas não é algo que possa ser apresentado numa conversa informal.
As danças na Biodanza são em sequências, posto que um exercício isolado não é representativo, mas se espontâneamente se propiciar o momento para alguma vivência, poderá acontecer.

7) De que forma se vai estruturar a aula aberta?
Esta Aula Aberta estrutura-se em forma de apresentação e contacto com o que é a Biodanza.
Nao lhe chamamos workshop porque um workshop para nós tem uma função, duração e custos diferentes.

Nesta Aula Aberta sucede uma primeira meia-hora, em que são feitas apresentações e uma pequena introdução teórica sobre Biodanza e sobre a sessão que vai acontecer, abrindo espaço também a quem desejar falar e no seguinte tempo entre hora e meia a duas horas é o tempo da vivência em si, ou seja, tempo para dançar, onde é importante recorrer a comunicação não-verbal.
Uma sessão de Biodanza actua entre emoção, música, vivência-movimento e grupo, com pautas de aspectos biológicos, fisiológicos e psicológicos, pulsando por isso entre uma parte da aula bastante activa, uma segunda mais reparadora e uma parte final de activação para que a pessoa saia de facto, não cansada mas renovada, com energia e bem-estar e em contacto com possibilidades diversas da Dança da Vida.

Mais informações sobre a aula aberta aqui

O Centro Tinkuy agradece à facilitadora de Biodanza, Lúcia Barros, esta entrevista.

Ementa Para a Semana de 27 a 29 de Março 2013





A COZINHA DO TINKUY prepara pratos sem produto animal nenhum, prioriza ingredientes biológicos, entre os quais está o carinho q.b. 

Lembramos também que nesta semana as refeições serão servidas apenas nos dias 27, 28  e 29 de Março. Depois estaremos fechados até ao 9 de Abril.
Sejam bem-vindos com novas ementas de primavera a partir do dia 10 de Abril.

Gratos!

Semana do 27 ao 29 de Março 2013

Quarta 27
Sopa cremosa de vegetais com sementes de abóbora tostadas
Millet com ervas e vegetais (opcional molho de cenoura).
Burgers de lentilhas.
Brócolos com molho de tahine 
Salada cenoura, agrião e maçã

Kanten de lúcuma, banana e ananás


Quinta 28
Sopa de massa de arroz e algas
Arroz basmati com açafrão
Seitan milaneza (panado)
Torre de vegetais escaldados
Salada de folhas verdes e romã (alface e agrião) com molho branco

Tarte (base crocante de aveia, sem farinha) de maçã


Sexta 29
Sopa de misso com vegetais e alga kombu
Massa fussili integral salteada com alho e azeite, shoyu
Tofu com alga nori
Couve coração escaldada com alga arame e pimentos vermelhos grelhados na lareira
Pickles de cenoura e nabo redondo

Bolo de chocolate (cacau, alfarroba)

Com gosto!



Quer conhecer mais detalhes sobre a Cozinha do Tinkuy?
Veja por favor:  http://centrotinkuy.blogspot.pt/p/cozinha-do-tinkuy.html


E acerca dos próximos cursos de Culinária "Alimentação integral e consciente"?
Vejam por favor: http://centrotinkuy.blogspot.pt/2013/03/workshop-padaria-saudavel-domingo-21-de.html



domingo, 24 de março de 2013

CONVERSAS COM SOPA, 12 Abril a partir das 19h00

PRÓXIMA CONVERSAS COM SOPA

O QUE É BIODANZA E COMO NOS BENEFICIA? Facilitadora LÚCIA BARROS
(formada pela Escola de Biodanza-Sistema Rolando Toro, de Portugal, em 2005)




O que é Biodanza:



“É um convite à alegria de viver.”
A Biodanza  é um sistema de desenvolvimento humano que favorece o
despertar e a integração das nossas potencialidades em qualquer idade     
através da música e do movimento.
Com danças individuais, a pares e em grupo, promove a saúde equilibrando
funções do organismo, conduzindo a maior harmonia e bem-estar.
Estimula a comunicação relacional consigo, com o outro
e com o que nos rodeia, restabelecendo a unidade
entre pensar-sentir-agir nas nossas vidas.
A prática regular da Biodanza ajuda a diluir tensões,
aumentando a resistência ao stress menos saudável.
Eleva a vitalidade e a alegria. Fortalece a auto-estima e a confiança,
melhorando a capacidade de escolhas mais positivas na vida.
Promovendo a comunicação e a expressão,
estimula a criatividade,  a convivência e os vínculos afectivos.
               
Todos podem praticar Biodanza, não é necessário saber dançar.
Tragam meias anti-derrapantes.

O que pode esperar uma pessoa que vem a esta aula?

Perceber como o movimento integrado e a vivência conectados com a música e a emoção, podem ter efeitos imediatos de bem-estar físico e psicológico, inspirando alegria, força e ternura nos participantes, que transmitirão no exterior depois.
Com regularidade a medio-longo prazo os efeitos são transformadores ao nível existencial.






Vagas limitadas: máximo 20 pessoas, mínimo 10


Inscrições prévias aos nossos contactos:

Investimento: 5 estrelas
(que não sejam impeditivas de experimentar esta aula)


Lúcia Barros

Nasci em Angola em 1967, onde vivi até aos oito anos de idade, encontrando-me em Portugal desde então, pelo meio de algumas viagens, quase sempre a viver entre Lisboa e Cascais.

Licenciei- me em Línguas e Literaturas Modernas na Universidade Clássica de Lisboa-Faculdade de Letras e aliado ao gosto pelas línguas, vem desde muito cedo também o gosto pelo mundo do som, do movimento e pelo seu alcance na saúde e integração humanas. Esta foi a paixão que me conduziu à Biodanza, tendo iniciado a prática regular em 2003 e a formação na Escola de Biodanza-Sistema Rolando Toro, de Portugal, em 2005.
Desenvolvendo ao longo do tempo trabalhos com crianças, adultos, idosos e grupos de mulheres, concluí a minha titulação como facilitadora em Janeiro de 2011, facilitando há dois anos um grupo regular de integração em Lisboa.

O gosto pelo que é humano, pelo desenvolvimento que eu própria descobri na Biodanza, pela possibilidade de partilha através do ensino/aprendizagem e de trabalhar com as pessoas dos mais variados sectores ( ou seja, independentemente das suas profissões, capacidades físicas, classe social, língua, raça, gênero, idade, crenças religiosas ou sexuais) e o gosto pela projecçao existencial saudável que a música e o movimento(linguagens universais entre outros elementos)podem potenciar em qualquer pessoa, revelando o seu melhor para uma sociedade melhor, aviva em mim, cada vez mais, o amor por esta profissão.

Contacto Email/Facebook: luciabarros67@





quinta-feira, 21 de março de 2013

Que é o Way of Council? CONVERSAS COM SOPA Quinta Feira 21 de Março, a partir das 19h

QUE É O WAY OF COUNCIL

Será o tema desta  CONVERSAS COM SOPA,
que (extraordinariamente) acontece esta Quinta Feira, 21 de Março 
a partir das 19h. (Normalmente as conversas decorrem às Sextas Feiras).
Com a participação especial de Rob Dreaming (facilitador Way of Council).




Este Fim de semana, Rob Dreaming estará a facilitar um Curso de Introdução ao Way of Council.


Agora com informações importantes relativamente às condições,
vejam mais info aqui.:

ou aqui:
 https://www.facebook.com/events/100509313470539/



Sejam tod@s bem-vind@s!



Reiniciando as tertúlias, apresentamos 

CONVERSAS  COM  SOPA*

Sextas Feiras a noite, a partir das 19h

Ao redor de uma grande mesa, retomamos a conversa...Um ciclo de temas actuais apresentados por facilitador@s de diversas áreas, para ser/saber/sentir, para vislumbrar novos caminhos e possibilidades, para crescer em consciência!

Previamente vamos saborear uma sopa quentinha e outros petiscos, a um preço bastante convidativo*

PROGRAMA DAS Próximas CONVERSAS COM SOPA


Quinta Feira 21  Que é o Way Council?
      com  Rob Dreamming

Sextas em Abril

12 Biodanza, que é e como nos beneficia?
      com Lúcia Barros

19  As Mensagens de Agostinho da Silva (Projecção de Vídeos)
       com Sofia Sousa (SOL)

Sextas em Maio

3 Sexualidade e Integridade
      com Peter Littlejohn Cook

e a lista continuará....




* A sopa. será uma sopa rica, praticamente uma refeição, e virá acompanhada de pão e paté para barrar.  Fruta e disponibilizamos também um chazinho especial de ervas e água para todos.
Cada sexta uma sopa diferente.


Venham dai!

*Valor de Troca:  mínimo sugerido 5 estrelas